quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Feliz Aniversário, mas o presente fica pra depois! - Final.


Com a neuropatia sem dar trégua a dra indicou outro neuro que resolveu fazer uma punção na minha coluna num exame chamado Liquor. Engraçado que foi no mesmo dia do jogo do Brasil com a Colômbia. Bem, o neuro fez um vodoo comigo pois a tarde o Neymar saiu da Copa com uma lesão eu acho no mesmo lugar onde eu fiz minha punção. Médico nazi. Quando a anestesia passou comecei a ver estrelas. Começou a doer pra caramba e passei 4 dias sem nem dormir direito. Até chamei serviço móvel 24 hs pra me dar injeção pra dor. No resultado do exame, infecção no sistema nervoso. E dás-lhe mais remédios. Mas a dor na coluna incomodou por semanas e a partir daí comecei a ficar mais em casa. Que disposição se tem de fazer algo enquanto se sente alguma dor?

A vida passa e lá vou eu para a terceira prorrogação de licença médica do INSS. A dor diminui e começo a fazer acupuntura para melhorar a situação motora. "Agora vai", pendei eu. Com boas perspectivas aceito a proposta de meu pai e nos programamos de ver em São Paulo o show do maestro Andre Rieu, que veio a acontecer agora em outubro. Ingressos e passagens compradas, alguns dias depois volto a sentir uma dor nas costas.

Um final de semana de paracetamol e a dor virou aparentemente lombar e passou a incomodar mais do que devia. Consulto meu neuro e tomo remédio pra estiramento muscular mais forte. Não adianta e a dor passa a ser lancinante  A dor torna-se terrível. Procuro fisioterapeuta perto de casa e inicio acupuntura com infra-vermelho. Dia seguinte crise de dor e me desespero as lágrimas de tanto que doía. Parecia uma facada onde ficavam mexendo com a faca nas minhas costas. serviço 24 hs e injeção muscular de tramal e profenide. Consigo dormir uma noite.

Manhã seguinte, dorzinha lá e "taca-lhe pau" para hospital de fraturas. Raio-X e nada. Dipirona na veia. Dor diminui um tiquinho e saio de lá de cadeira de rodas. 

Sábado de manhã vou para a fisio. Estranho vermelhidão na parte interna da coxa direita mas a fisioterapeuta não. É herpes zoster. Bingo. Inicio tratamento intensivo com aciclovir. Pelo menos se sabe qual o problema. real  Essa herpes é um vírus que deriva do vírus da catapora que fica conosco e aparece quando baixa a imunidade o que em quem fez tx é ter que conviver. 

Domingo de madrugada acordo aos berros. A crise de dor recomeçou. era insuportável e eu olhando desesperado para minha mãe, pedia para morrer. Não suportava mais. Não havia deus neste mundo ou em nenhum outro que pudesse me apegar. Que deus permite sofrimento tamanho a um filho que já experimentava tanto sofrimento? Queria engolir a caixa de calmantes inteira. Minha alma tinha desistido. 

Desespero mútuo mas com um ínfimo de esperança minha mãe ainda chamou em caráter de urgência o serviço 24 hs novamente. Com injeção de morfina e um comprimido de rivotril apaguei para acordar mais de 10 horas depois coma dor controlada receitas de medicação mais forte para controlar a dor que incluía ansiolíticos. Nos dias seguintes a dor diminuiu e passou a ser considerada nevralgia pós-herpética. O nervo judiado pelo vírus fez a perna perder mais força. Não consigo mais dirigir e o uso de bengala se tornou imperativo. Não consigo levantar a perna no movimento de vestir uma caça por exemplo. Aliado aos outros problemas motores o ato de se vestir leva até 5 vezes mais tempo que o normal. Subir e descer escadas também virou uma aventura e assim como várias outras funções corriqueiras do dia a dia. 

Para coroar essa odisséia só mesmo ser brindado com o show de André Rieu em São Paulo. Claro que surgiram muitas dúvidas sobre ir ou não. Mas logo eu ia me deixar levar pelo receio? Com os devidos cuidados "levei" meu pai ao show e valeu a pena. Aliás os cinco dias em Sampa foram ótimos onde recebi compreensão e carinho de familiares e amigos que fazem tão bem quanto uma dose de morfina pra quem tem dor.

Volto a Curitiba mais animado. Agora é esperar tudo se normalizar. Dizem que a dor as vezes dura uns 3 meses, mas pelo menos esta controlada. E fazendo a fisio logo a força da perna deve voltar e poder voltar a dirigir. Como os remédios pros problemas motores não tinham dado resultado tinha marcado uma eletro-neuromiografia para verificar resposta do sistema nervoso. Levo uns choquinhos e tal e vem a bomba. Sim, outra. E você aí achando que o pior tinha passado. Então continue sentado.

Meu sistema imunológico está atacando o sistema nervoso. Não se sabe ao certo o que disparou esse "erro de sistema". Provável o citomegalovirus do começo do ano pois foi bem quando começou o problema na mão esquerda. A resposta nervosa está diminuindo e só não está pior porque o sistema imunológico está baixo. Segundo o médico eu poderia nem estar andando. E a sua vida em camera lenta começa a passar na sua cabeça.

Mas tem solução. Oba ... lá vamos nós de novo. Meu neuro explica que o tratamento se dá com injeções de imunoglobulina. É tipo uma solução de imunidade de 30 mil doadores e dependendo do organismo resolve em poucas sessões. Faz-se a aplicação uma vez por mês internado e se faz o acompanhamento com aquele exame. Detalhe que o SUS só dá uma aplicação e o resto se faz por convênio geralmente. Cada aplicação particular gera em torno de 30 mil Reais. E eu só pensando: E aí Deus, já não estava bom?

O transplante é visto como a solução dos problemas de quem precisa de um órgão.  A expectativa de uma vida melhor, sem limitações nos faz acreditar nisso aliado a campanhas de doação. Conversando com pessoas que passaram por desafios semelhantes concluo que o transplante é o primeiro passo de um processo longo de readaptação do organismo em busca, aí sim, de um funcionamento que permita uma vida plena. Tenho a percepção que meu corpo está aprendendo a ser saudável. 38 anos de diabetes não se curam em um ano. Mas talvez saber dos desafios dessa readaptação nos deixasse mais bem preparados quando eles chegassem. Se chegassem.  

Mas para tudo o que é desconhecido a maioria das pessoas seguem o caminho da fé.  Em meus relatos o conselho dado de acreditar no ser superior é quase unânime. Não sou religioso e mesmo tentando acreditar em certas vertentes religiosas cheguei a conclusão que acreditar na minha própria força interior tem me dado a sustentação necessária para encarar esses desafios. Se é minha a "missão"!

Sempre encarei tudo com bom humor, abusando até do humor negro e sarcástico. Se vamos rir no final já acho bom rir desde o começo. Mas ando meio sacudo dessa chuva de meteoros que não para. Seria bom passar uns dois ou três meses sem nenhuma dor de barriga só pra deixar a bateria carregar por inteiro. Essa semana agendei a quarta perícia de prorrogação de licença no INSS - mais de um ano parado - e espero contato do meu neuro pra passar o passo a passo do tratamento coma imunoglobulina. É acreditar, esperar e torcer.


terça-feira, 21 de outubro de 2014

Feliz Aniversário, mas o presente fica pra depois! Parte 1.

Mais um dia normal. Acordei mais tarde hoje devido horário de verão e pela festa no vizinho ter passado da hora. Tomei os remédios de praxe e o remédio pra dor devido a herpes que atingiu o nervo da perna. Tomei meu café mas como já eram meio dia o café virou almoço. Deitei mais um pouco e depois ajudei a enfeitar a casa pro aniversário da minha sobrinha que fez 6 anos. Ruim ainda é subir e descer escadas pois a perna ficou fraca e por vezes dói.  A festinha foi bacana. Minha sobrinha ficou contente. Pena que choveu e não puderam usar a cama elástica.  A perna ficou doendo mas ainda fiz um café,  sociabilizei (rs) e dei um "cheiro' no meu sobrinho de 3 semanas. Tem quem diga que é minha cara. Fim de festa. Dar uma organizada. Banho. Remédios da noite. Escrever um pouco enquanto tento ver o debate presidencial - difícil. Enfim, parece que não foi um dia tão normal. Neste domingo fez um ano que fiz meu transplante duplo de rim e pâncreas.

A um ano atrás tinha uma esperança de qualidade de vida renovada. Com diabetes a quase 40 anos e a 7 meses fazendo hemodiálise o então esperado transplante aconteceu. Lembro que em um das consultas prévias fui alertado que o primeiro ano do transplante era bem difícil.  Mas fazendo hemodiálise 3 vezes por semana durante 4 horas e com crises frequentes de baixa de glicemia onde perdia a consciência e só voltava a vida com injeção de glicose na veia nem imaginava o que podia ser pior do que aquelas situações.  Devia ter pedido mais detalhes.

Com recuperação boa em 12 dias já estava em casa e com algumas situações que já relatei aqui, os primeiros três meses passaram bem, apesar de serem os mais críticos. Mas a partir de janeiro as coisas começaram a complicar. Logo após reveillon fiquei internado 5 dias pra tratar de infecção por citomegalovirus (cmgv) devido a baixa imunidade. Mal estar, fraqueza e febre passaram mas me fizeram ainda ir ao hospital todos os duas por mais 15 dias pra tomar antibiotico na veia. O acesso venoso tinha que ser trocado a cada 4 dias e como estava com veias fracas toda troca era dolorida. Mas o problema maior foi a perda da sensibilidade e força na mão esquerda. Uma neuropatia se iniciava sem motivo aparente.


Dificuldades para abrir uma garrafa ou pote, segurar talheres ou uma caneca, lavar uma louça,  amarrar cadarços ou abotoar a camisa começaram a se tornar tarefas difíceis que por vezes altrravam em muito o meu humor. Procurei um neuro, fiz exames mas de início nada muito conclusivo que minhs médica do transplante (tx) pudesse se basear para alterar medicação.  Havia suspeita da dise dos imunossupressores.

Em março,  em viagem a São Paulo, a neuropatia se manifestou também no pé direito. Tinha ido até a Paulista com minha prima e o céu desabou no fim de tarde. Voltamos para casa de taxi. Como chovia dei um pique do taxi até a entrada do prédio que possuía um pequeno lance de escadas logo após a porta de entrada. Não consegui parar tendo que me segurar na porta para não me esborrachar na escada. Correr e frear, dar um salto e coisas do tipo começaram naquele momento a também serem desafios.

Claro que a vida seguia. Agente se adapta na esperança que todo mal é passageiro. Cinema, teatro, cafés com amigos, jantares e tal. A vida social seguia enquanto conseguia dirigir. E para as caminhadas maiores passei a usar uma bengala pois a fraqueza no pé por vezes causava desequilíbrio.


Apesar de não parecer me entregar a essas dificuldades sempre crescia em mim a tensão de poder voltar a trabalhar. Mas enquanto clinicamente parecia tudo bem, com exames médicos dizendo que rim e pâncreas estavam ótimos, as dificuldades motoras me afastavam do meu trabalho. Sendo bancário, como exercer plenamente minhas atividades profissionais com a debilidade da mão esquerda?  Lidar com documentação e contar dinheiro no caixa ficavam impossíveis.

E Deus rodeando minha vida através das pessoas próximas a mim. Mas quem sente na pele passa a questionar os ditos desígnios divinos. Sério que é comigo Deus? Ele está me testando, mas ainda não está satisfeito? Da pra variar de cobaia um pouco? Espero que Ele estejs anotando tudo lá em cima pois eu estou.
 O legal é poder usar a vaga de deficientes pra estacionar.  Eu tenho o cartão. Alguma vantagem a gente tem que ter.

Acho que Deus as vezes me compensava. O preço pra mim sempre foi alto, mas ...

Certa vez fui com uma amiga pra Santa Catarina que foi aprovada como professora numa instituição e rimos muito entre estradas, cidades e passeios revigorantes. O cansaço que purifica.

Veio a Copa e consegui me organizar para ver 3 jogos em Curitiba. Foi divertido e me senti muito feliz. Vivo, naquele clima de alegria e confraternização. Como imaginaria que um ano anterior fazendo hemodiálise poderia vivenciar algo tão especial? Só não podia pular na hora do gol com risco de perder o equilíbrio e cair sobre alguém. Tanta cicatriz na alma faz a gente vivenciar alguns momentos de forma plena como se fossem os últimos. Vivia a felicidade que me era permitida. A felicidade possível, pois a plena o tx ainda não tinha trazido.


sábado, 18 de outubro de 2014

Seu amigo não tem Ebola

Noite de sábado.  Aquela agitação no chuveiro. Meio guarda-roupa jogado em cima da cama e o sorteio pra saber qual perfume usar levando tudo em conta de onde e com quer se vai sair. Se você é um deles não se esqueça de ligar para aquele amiga que a tempos você não vê porque estava passando por uma fase difícil.  Enfim, mesmo que ele não possa sair ... ligue para mim.

Como diz o ditado se você quiset saber a qualidade de suas relações fique sem dinheiro ou doente. Dinheiro eu dou um jeito. Mas doente, ou ainda em recuperação do transplante eu ainda estou e com complicações pelo caminho e nesse tempo todo percebi como as relações mudam.

Não tô aqui pra chorar a solidão do abandono mas pra relatar a verdade que todos dizem; pra saber quem são seus amigos exclua sua conta do Facebook e Whatsup.

Ainda quando estava podendo dirigir conseguia me fazer mais presente entre amigos. Mas a um mês e meio uma enfermidade causada pela baixa imunidade prejudicou o nervo da minha perna que ainda me impede de dirigir e também de andar (ando com dificuldade com o apoio de uma bengala). Espero que a fisio trate disso o mais rápido possível.

Mas o povo deu uma sumida básica.  Eu até procuro mas a coisa fica meio esquisita. Claro que todo mundo tem sua vida mas na minha santa ingenuidade dá pra incluir um amigo que precisa de companhia de vez em quando. Tolinho eu né?

Mas a gente que fica assim meio combalido também se isola um pouco. Faz parte da natureza humana esconder um pouco suas fraquezas. Não no meu caso acredito. Visto que minhas fraquezas sempre foram motivo de boas rizadas sarcásticas e irônicas.

Fraquezas e dificuldades alheias também são boas oportunidades de aprendermos sem termos que passar por aquela dor nós mesmos. Então as vezes me sinto um manual de sobrevivência fechado. Azar o seu.

Mas tem gente que nos surpreende e foge ao modus operandi. Recentemente estive em São Paulo onde fui assistir ao show do maestro Andre Rieu (já tinha me programado a uns 2 meses, bem antes de ficar ferrado com a herpes zoster femural que me atacou e me fez quase ver a "luz de Carolyne"). Como melhorei um pouco a base de forte medicação pra dor, arrastei meu pai comigo e fomos a paulice. Claro que não me joguei como o faria gozando de plena saúde mas a viagem de 5 dias valeu a pena também por situações contrárias ao que disse acima. Amigos entraram em contato querendo me ver e mesmo relatando minha dificuldade se dispuseram a atravessar a cidade, me buscarem para fazermos algo juntos e me levarem de volta onde estava hospedado, na casa de meus padrinhos. Fantástico.  Há esperança.

Tudo na vida muda o tempo todo. Inclusive as relações.  O jeito das pessoas te amarem também mudam e a gente também tem que aprender isso. Tenho um amigo que me da bronca que eu não ligo ora ele. Eu também tenho que ler esse texto depois. Rsrsrsrs.  Só que mais que um post de auto-ajuda do facebook que a gente acha lindo mas não coloca em prática, um momento real que podemos perder não estando com alguem que amamos pode ser um texto da timeline da vida que não recuperarmos depois.

Obrigado aos amigos que sumiram do meu whatsup.
Obrigado aos amigos que entrei em contato hoje e não retornaram depois.
Obrigado ao Fabio, ao Jose Antonio, a Maria e ao meu xara Renato que não mediram distância para darem mais que um oi em São Paulo.
E ao meu amigo Guga pelo puxão de orelha de eu não ligar pra ele.
Aos demais tem Facebook pra aliviar a consciência.



quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Futebolísticas


Time da primeira divisão de futebol nacional está a procura de um novo técnico.  O atual, recém contratado a 4 meses, não atendeu as espectativas da diretoria e torcida; ganhar campeonato com salários atrasados a seis mess. Incompetente né!
Entre os predicados do futuro "professor" estão:

1. Ter mais de 60 anos. É preciso sangue novo para renovar estilo de jogo e como o clube não dá vale transporte o contratado pode usar o passe livre para idoso.

2. Gostar de ser chamado de professor. Mesmo sem segundo grau e nunca ter dado aulas e muito menos o salário ser comparável a um professor de verdade, ajuda os jogadores a saberem que o professor é o técnico.

3. Ter sido demitido pelo menos uma vez no time contratante. Pra não dar trabalho pra turma do RH.

4. Ser teimoso. A gente adora substituição a dois minutos do final porque da pra virar desde que não esteja perdendo de 7 x 1.

Curriculos podem ser enviados pra qualquer clube pois a cada rodada tem vaga disponível em qualquer lugar.

Caso seu currículo seja aprovado siga os principais jornais pois de algum jeito eles saberão que você foi escolhido. Antes de você mesmo.

Obrigado.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Então Deus, o negócio é o seguinte ...

 
Nossa. Que bagunça. Sabia que não devia ter feito a Carolyne e voltado para a luz (só os fortes entenderão Poltergeist - o filme). Nossa que fumaceira. E que luz é essa?

DEEEEEEEEEEEEEEEUUUUUUUUUUUUU8SSSSSSSSSSS...

ÉS TU?

Putz ... quer dizer que eu passei? E estou aqui com o Senhor?  Nossa, estou honrado. Mas, se eu estou aqui, então ...

NÃO ERA PECADO, NÃO ERA PECADO, NÃO ERA PECADO ...

Era, mas o Senhor perdoou. Tem coisas piores. Ah, obrigado. Também né, com o perrengue que eu passei lá embaixo merecia um crédito. Valeu. Nem peguei fila na porta! Cadê São Pedro? Como? O Senhor mandou pra ajudar a organizara fila lá de baixo? Tenso hein!

Então Deus, tô aqui. Senhor quer algo de mim? Não? É pra eu perguntar qualquer coisa? JURA? Fazer uma D.R. básica de boa? Deus é demais ... Deus é  g.e.n.i.a.l.

Então Deus, senta aí. Fica a vontade. Senhor tem tempo? Tem umas coisinhas que eu queria saber. Acho que vai demorar um pouquinho. rsrsrs. desculpa, o Senhor tem a eternidade. Tinha esquecido.

Então Deus. POR QUE EU? Tem certeza que eu era pra ser eu? O senhor não me confundiu com alguém não? Tipo ... de capa vermelha ... que vestia a cueca por cima da calça ... não? Era eu mesmo? Não me confundiu com a invenção daquele tal de Benjamim Franklin? Hã ... lâmpada? Não, lâmpada não. Tô falando do para-raios ... é, aquele negócio que pega tudo, tudo cai nele. Porque olha, só faltou ganhar dinheiro, que o resto ...  foi tenso!

O Senhor fica aqui o tempo todo? Fica né? Dá pra ver tudo lá embaixo. Vista pro mar ...pro deserto ... pra montanha. O Senhor vê Gaza daqui? Lugarzinho lascado pra chamar de Terra Santa né? Era piada divina? Ninguém se entende lá. Desde que chamam de Santa vive em Guerra. Seu Filho andou por lá. Deu uma confusão. Coitado. Que Deus o tenha. Ah ...esqueci. Por falar nisso, cadê Ele? Foi para outro plano por que? Como é que é? Desceu outras duas vezes, não deram bola pra Ele e agora Ele disse que não desce mais? Cruz credo Deus, desceu onde e como? Não ... não ... não acredito ... pô Deus. Custava mandar o menino como Rei de algum lugar tinha que ser como escravo no Brasil colonial? Deus me livre um Pai desses. Senhor não ajudou também né. Nem vou perguntar da outra vez como foi.

Mas lá o povo não se entende. É só falar diferente, te chamar de outro nome que o míssil voa solto. Aliás... lembrei. Torre de Babel ... cagada hein. Cagada ...foi mal. Erro estratégico. Se falando a mesma língua o povo já não se entende, pensa japonês brigando com russo. Tudo bem que xingar em francês parece chic. Mas oh, cagada. Só tem uma coisa que acho pior que Babel que é a porra da tomada de três pinos do Brasil. Por que você deixou? Tava tudo encaixando bunitinho e ligava, podia viajar sem aqueles três quilos a mais de adaptador. Em casa tinha mais adaptador que tomada.
Alias pra viajar ... outro problema de Babel. Tinha que levar dicionário, mapa tetra-lingue, baixar google tradutor, fazer cursinho. Quem curtiu foi um tal Santoro que adorava vender cursinho de idiomas do tar de ...esqueci ...uisiap. É esse negócio aí. Aliás, Santoro hein. Vendendo línguas, cara gato ... e eu de para-raios. Diziam lá embaixo que o senhor era justo. Eu que não entendi os seus propósitos? Senhor falou em outra língua e não me deu o cursinho do Santoro queria mais o que, oração? Obrigado por me ferrar Amém! Aaaaaahhhh vá!  Desculpa aí. Sei que sua intenção era boa. É, eu acho que não entendi . Mas custava mandar a gente lá pra baixo com o manual? Podia ser só os tópicos na ABNT que já estava ótimo. 

Mas ainda sobre entender o que o Senhor queria dizer; eu sempre perguntava mas o Senhor nunca respondia! Sério Deus. Custava mandar uma mensagem na minha língua? É que eu achava estranho não "ouvir" o Senhor e tinha tanta gente lá embaixo que vivia dizendo que ouvia o Senhor falar com eles. Principalmente uns carinhas de terno com o tal livrinho na mão.  A "SUA" palavra. Tanta gente falando eu seu nome lá embaixo pensava: pô, o cara deve ser bom. Eu que sou um lascado que nem com reza braba Deus me responde, o pastor deve ter até o celular de Deus já que diz que vive falando em seu nome! Babel né.

Mas vem cá, será que não tinha boi na linha? Porque eu lembro que me disseram que o Senhor disse "amai-vos uns aos outros como eu vos amei". Mas aí, esses que falam em Seu nome dizem que exceto os adúlteros, infiéis, homossexuais, os que não temem  o Senhor - o que para mim é uma contradição pois se o Senhor é amor porque a gente tem que ter medo do Senhor pra ser bonzinho e ser considerado bom cristão? Sem contar que mais da metade do povo lá embaixo não acredita no Senhor não. E aí? Sei não magnânimo, acho que o Senhor deixou a coisa muito solta lá embaixo e descambou. Ou o celular do pastor era TIM e a ligação caía toda hora e pegavam tudo o que o senhor falava pela metade. Era melhor ter mandado seu filho de volta. Ele sim, de capa vermelha e cueca por cima da calça. Visual mais moderninho. 

Pópará, pópará, pópará ... chegamos onde eu queria. Livre arbítrio. Bem isso que eu queria discutir também. Vou até pegar uma cadeira ... aliás, me traz uma cadeira, já que o Senhor é Deus, que essa parte vai demorar. E ainda quero saber onde estão John Lennon, Freeddy Mercury e Michael Jackson porque infelizmente eu continuo sabendo onde estão Calipso, Claudia Leite, Michel Teló e MC Catra. E quero dar um oi pro Suassuna. Posso ouvir o Jair e a Elis enquanto espero? Obrigado.


quinta-feira, 14 de agosto de 2014

Nossa convivência com as pequenas grandes tragédias


Recolhimento. Há momentos em que é preciso ficarmos sós com nós mesmos. Em momentos de dúvidas significativas, problemas que nos roubam o sono, enfermidades e tal. Esse pequeno isolamento pode servir para que você se aprume em você mesmo e fique menos tendencioso a fazer algo mais influenciado por opiniões externas do realmente mandaria sua essência propriamente dita.

Mas o mundo a sua volta não pára só porque você decidiu pensar na vida. E Israel e o Hamas trocam mísseis.

Os judeus sofreram pelo menos uns 2000 anos de perseguição até conseguirem voltar a sua terra e fundar o Estado de Israel. E nunca tiveram paz na Terra Santa do pau oco. Só o holocausto dizimou 6 milhões de judeus em campos de concentração. Na antiguidade assírios, babilônios, egípcios, persas, romanos e otomanos fizeram gato e sapato deles. Na Europa sofreram todo tipo de perseguição também. E parece que não aprenderam nada sobre humanidade. Será a lei deles do olho por olho e dente por dente? Então por que não entram em guerra com a Alemanha? Os alemães sempre foram um povo belicoso. Os germanos tocaram horrores contra o Império Romano. Prussianos adoravam uma briga. Como Alemanha perderam 2 grandes guerra e parece que aprenderam pois até em jogo de futebol mesmo sendo muito superiores demonstram compaixão e humildade. E Israel acha que telefonar pra escola dizendo que vai cair uma bomba lá está tudo certo: "Eu avisei, não saiu porque não quis."

Também não entendo um povo se colocar na posição de vítima servindo de escudo humano para terroristas. Independente da situação social, cultural e religiosa é muito complicado de entender. E a Faixa de Gaza é o grande campo de concentração do século 21. A ONU diz que está chateadinha mas a verdade é que as super potencias não vão tomar uma atitude mais drástica que deixe os banqueiros judeus fulos da vida. Esses dias li um texto que questionava de que lado você estaria no conflito (não sei onde foi parar). Fico do lado de que a vida de 20 palestinos não compensem a vida de um israelense. São todos seres humanos com suas diferenças. Mas quem sou eu?

No conflito entre Rússia e Ucrânia quem mais foi atingido foram os holandeses da Malaysia Airlines (Torre de Babel né?). E ao que tudo indica a cura da AIDS também pode ter morrido naquele avião já que muito cientistas estavam naquele voo indo para um congresso na Austrália. Conspirações? Mas quem sou eu?

Hoje vejo um país consternado pela morte trágica do candidato a presidente do Brasil, Eduardo Campos. Eu tinha uma tênue esperança de que Eduardo Campos podia ser uma possível 3a via frente a uma política suja, ultrapassada e falida representadas hoje por PT, PSDB, DEM e PMDB principalmente. Sinto por achar que o Brasil carecia de uma outra opção. Não que fosse a melhor. Mas era uma nova possibilidade. Pena. Mas quem sou eu?

Sou um otimista que trocou a empolgação pela serenidade. Até chorei hoje com a morte do Campos porque via algo mais além de uma outra opção. Vi que agora não temos opção (esse é o meu sentimento). 

Essas coisas todas, entre outras tantas, que nos afetam de um jeito ou de outro nos levam mais cedo ou mais tarde a reflexões sobre a vida. O recolhimento que mencionei no início, dei-me por estar passando ainda por provações no campo da saúde provenientes do tratamento pós transplante. Algumas complicações que tem interferido de forma bem particular no meu dia-a-dia e do qual creio que o recolhimento possa me poupar energia suficiente para passar mais essa ou ao manos enfrentar isso com um pouco mais de sabedoria. Sabedoria que anda tão em falta por aí.

Mas pelo menos temos um "Nobel" de matemática. É, dá pra ter esperança em algo.

domingo, 27 de julho de 2014

Como me usaram para tirar o Neymar da Copa.

http://og.infg.com.br/in/13144911-853-50f/FT1500A/550/2014-730945570-20140704224102924ap.jpg_20140704.jpg

Nada como começar uma sexta-feira com uma bela apunhalada nas costas.

Dramas menores a parte, mas como ando realmente com um sentimento de que alguém lá em cima adora tirar uma onda com a minha cara, o que me resta é encarar a coisa com um pouco de humor e sarcasmo. Afinal, como diria mestre Yoda "para ninguém, fácil está".

Como já relatei sou transplantado duplo (pâncreas/rim) desde outubro de 2013. De lá pra cá venho num processo de readaptação a várias coisas. Não parece, mas tenho dois órgãos dentro de mim que eram de outro ser humano e isso não funciona como um simples "plug and play".  A verdade é que uma cirurgia desse porte lhe trás efetiva qualidade de vida a partir de 1 ano. Ou seja, para mimainda não chegou totalmente.

Claro que não preciso mais tomar injeções de insulina de 3 a 5 vezes por dia, nem mesmo ficar ligado a uma máquina de hemodiálise por 4 horas 3 vezes por semana. Já isso vale qualquer esforço de uma cirurgia de transplante e tempo de recuperação tomando milhares de comprimidos. Mas muitas coisas podem acontecer no pós operatório só que a gente não fica muito preparado pra elas. Meio que liga no automático e "vai". Mas vai daquele jeito né.

No começo deste ano apareceu um problema neurológico que me tirou a força da mão esquerda e depois a firmeza nas pernas. E também meu pé direito está tipo anestesiado desde então. Caminho normalmente na maioria das vezes mas não é difícil ter de utilizar de uma bengala para caminhadas mais longas. Correr ou dar um pequeno salto que seja é risco de ir ver o chão bem de perto. Ao ir na Arena da Baixada ver jogos da Copa aqui em Curitiba, quando me empolgava com a torcida em comemorar um gol, era um salto e em seguida uma sentada pois não conseguia manter o equilíbrio pra continuar de pé. Dançar? Melhor não arriscar.  Quanto a mãe esquerda a coisa é mais complicada. Imagine tudo o que você faz comas duas mãos. Mas faça agora usando somente os dedos mindinho e o seu-vizinho da mão esquerda (se for canhoto, inverta a mão). Abotoar camisa ou a calça, amarrar calçados, lavar a louça, cortar algum alimento usando garfo e faca (você usa a força do braço sobre a faca e quem vê acha que você esta esquartejando um boi), segurar algo mais pesado ... enfim. É complicado. Falando assim você até pode achar que não é pra tanto, face eu comentar isso com algumas pessoas e elas fazerem cara de paisagem. Tenta aí e depois me fala, só não vale trapacear.

Depois de uns dois diagnósticos de neurologistas que não convenceram muito procurei outro indicado por minha médica do transplante a dra Fabíola idolatrada salve-salve. Sério gente, ela é demais. Então fui ter com o neuro que disse pra fazer um exame chamado liquor. É uma punção lombar que tira líquido da espinha pra ver se o sistema nervoso está com processo infeccioso e que esteja causando essas alterações. Aí que entra a apunhalada nas costas.

Anestesia local. Fica sentado. E "puff". Sua coluna é espetada por uma agulha que deve ter uns 10 centímetros. Era a mesma sexta-feira do jogo do Brasil contra a Colombia. Tirando a sensação de desconforto até que não doeu. O médico disse pra tomar paracetamol e café se doesse e repousar. Beleza. Deu tempo de chegar em casa e ver o segundo tempo de Alemanha e França e se preparar pra torcer pelo Neymar.

Mas aí a anestesia foi passando  E eu ia me curvando pra tornar aquela dorzinha mais simpática. Aí que descobri que meu neuro era alemão. Ele fez vudu em mim e no jogo do Brasil ... creck ... quebrou a vértebra do Neymar. Desgraçado, por que ele não usou uma rã ao invés da MINHA coluna? Punção na coluna dos outros é refresco. Dois paracetamol na boca e vou tentar dormir. Acordo as 4h da manhã urrando de dor. Não tinha posição que me fizesse não ter a sensação de que a agulha ainda estava na minha espinha. Paracetamol, compressa de água quente e até café forte ...nada. Sete da manhã serviço de emergência batendo na minha porta. Injeção de tramal no músculo e comprimido de Tylex, que tem morfina na fórmula, pra sobreviver ao final de semana. Com picos de melhora e de "deixe eu sair deste corpo que eu não pertenço", assim fui de Tylex de 8 em 8 horas que acabaram sendo de 4 em 4 hs. Eu até pensei em tentar ir ver uma semi-final em São Paulo. Mas assim como o Neymar eu também estava fora da Copa. Na terça feira pra consulta de retorno com o resultado do exame: BINGO, claro que meus nervos estão infeccionados. 

Reclamei de boa como dr Fritz (nome fictício) que ele podia ter avisado do pior quadro da pós punção. E se ele não tinha dó de ter feito o que fez com o Neymar EM MIM. Podia ter receitado o que o Neymar tomou que dois dias depois estava andando e até carregando mochila nas costas. Piadas a parte, vão fazer 20 dias que saí de 10mg diários de cortisona para 60mg. Estou um pouco mais inchado, com o rosto levemente vermelho, com mais fome e até agora com mãos e pernas do mesmo jeito: tudo ainda estragado sem melhorar nada. 

É cada uma que parecem cinco e ainda tento rir. A debilidade nas mãos me evitam de exercer atividade profissional pelo qual estou de licença. E a gente vive. A gente vai se adaptando até a hora que não dá mais. De uns dias pra cá voltei a sentir dores nas costas. Mais para o lado direito como uma pontada dependendo da posição que faça. Talvez uma nevralgia retardatária em função da dor da punção. 

Entre um gemido de dor ou outro coloco um sorriso maroto na cara e vou vivendo e curtindo o que é possível. A dor tem todo o direito de nos desafiar. Mas o sofrimento nunca pode nos vencer. E quando precisar grite uns bons palavrões pelo ar de vez em quando em alto e bom som. Só pra deixar claro quem é que manda.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ao lado da Compadecida.

Não sabia que sentiria tanto a morte de um autor. Por isso escrevo em lágrimas. Mesmo conhecendo pouco de suas obras, sinto que o que conheço é a obra de um homem ligado a sua terra e que usava de suas palavras como um farol que sempre guia nossa alma de volta para a casa, para a terra onde nascemos, para nossa miserável brasilidade.

"não sei, só sei que foi assim..."

Obrigado Ariano Suassuna (1927 - 2014)


Acho que é essa admiração que nos faz sentir tão íntimos de alguém que nunca conhecemos pessoalmente. Acho que começou com uma montagem de Antonio Abujanra do "Auto da Compadecida" no festival de teatro de Curitiba a muitos anos. Anos depois com a bela produção da mesma obra para a TV com Selton Melo e Matheus Nachtergaele que ganhou o grande público. No carnaval do Rio várias escolas já homenagearam sua obra e sua pessoa. Por vezes sempre esteve presente em festivais literários e de cultura brasileira sempre afirmando sua brasilidade.

E assim ia Suassuna. Não ia muito mas ia. Não era midiático mas sua personalidade não deixava de aparecer quando necessário. Defensor de nossa cultura e raízes defendia que não trocava seu "oxente" pelo OK de qualquer doutor.

É doutor Suassuna, seu entendimento de nossa terra e dos filhos deste chão nos tornou íntimos sim. Mesmo sem termos nunca nos encontrado. Nos encontramos sim nas palavras, na postura, no jeito de se achar a alma perdida longe da terra de onde se nasce. Você nos deu o pertencimento a um chão. Um dna da terra.




domingo, 20 de julho de 2014

Só nossa insignificância se compara a nossa ignorância.


 As ironias da existência humana. Passamos aqui algumas semanas de um espírito de congraçamento e confraternização entre pessoas das maiores diferenças possíveis se atentando até pouco para uma realidade bem diferente disso. Mas nem um pouco estranha ou nova. 

Meu post anterior falava da alegria da Copa do Mundo. Da emoção de estar entre tanta gente de longe na maior paz e no dia seguinte a realidade nos mostra crianças morrendo num jogo de eterno poder injustificado. Um avião civil é derrubado com 300 a bordo sob o pretexto de ter sido atingido ACIDENTALMENTE numa zona de guerra e eu fiquei muito putin da vida com isso. Parem o mundo que eu quero descer. Ou melhor, subir. Quero ir embora desse. Mas ir pra onde? Numa perspectiva realista só temos esse.

Eu estava pensando em discorrer sobre os pontos que levaram ao início de guerra na porra daquela Terra Santa do pau oco. Separei até uns links pra gente tentar entender como começou. Por que não acaba? Por que ninguém faz nada? Entendendo ou não, vão continuar matando inocentes.

Aí, enquanto a xícara de chá esfria ao frigir dos seus pensamentos numa noite a La Frozen em Curitiba cai uma mensagem na minha timeline que simplesmente é a síntese do meu sentimento sobre tudo aquilo que esta acontecendo, de novo.

Nossa insignificância só pode ser comparada a nossa  ignorância. Eu só posso pensar que quem tem o mínimo de percepção da existência além de si mesmo, ao ver este maravilhoso vídeo, vai acabar como eu: chorando. Por que "somos" assim? Por que?

 

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Foi muito bom! Falta muito para a Rússia?



Gente, vou falar uma coisa pra vocês. A Copa do Mundo do Brasil acabou e fiquei com gostinho de quero mais. Nossa, foi tão legal. Na verdade não me desembestei a ver jogos pelo Brasil a fora entupindo o programa de milhagens de cias aéreas. Com todas as notícias pré Copa principalmente depois dos protestos de junho de 2013 acabei perdendo o tesão  

Aí veio o sorteio de grupos. Me animei um pouco e fiz aquele cadastro no site da Fifa pra participar do sorteio de ingressos para os 4 jogos de Curitiba. Ainda em recuperação da cirurgia e passagens aéreas a custo de cruzeiros na lua decidi tentar investir numa Copa do Mundo mais doméstica. Mas quando recebi e-mail da Fifa que não tinha sido sorteado fui logo pensando: fica para a próxima (como se a Rússia ficasse ali).

Aí o tempo foi passando, aquele vuco-vuco de Copa chegando. Obras e placas de Stadiun Arena, Curitiba City, Fan Fest for All etc e tal, seleções chegando, a Espanha ficaria em Curitiba, pensei: por quê não?

A duas semanas do início dos jogos acessei o site da Fifa e com aquele lance dos lotes de ingressos, selecionei Curitiba e ... tchan tchan tchan INGRESSOS DISPONÌVEIS. Meeeooooo, o coração disparou. Emoção. Quando cliquei na categoria de ingresso, quantidade, pagamento e tal e o estatutos apareceu SOLICITAÇÃO EFETIVADA COM SUCESSO, quase surtei de alegria. Fiquei tão contente que mal dormi. Iria ver Irã X Nigéria e também Argélia X Rússia. Estava contaminado pelo espírito da Copa. Agendei data e horário para retirar os ingressos no Tickets for Fan da Fifa que estava instalado num shopping e no dia seguinte estava lá. Tudo muito fácil e rápido. Com os ingressos e o manual do torcedor na mão me senti como com um troféu. Eu ia ver a Copa do Mundo.

O sistema te indica o assento, fileira e tal. Só seleciona a categoria de ingresso. Do lado, nos cantos ou atrás do gol. Não satisfeito decidi investir em mais dois ingressos. Mais umas 4 madrugadas acordado consegui para o jogo de Austrália x Espanha o qual levei meu pai junto como presente de aniversário pra ele. E a Copa começou.


Tinha uma verdadeira zona de exclusão de várias quadras ao redor do estádio onde só chegava morador ou com ingresso. Tinha um transporte específico mas não achei nem usei. Deu pra usar o transporte coletivo comum até um shopping próximo e andar algumas quadras até o estádio que é até bem central aqui em Curitiba. O clima de Copa mesmo já começava ali. É um clima tão fraterno. De confraternização que não há rivalidade nenhuma mesmo. Isso que é fascinante. Parece que a Fifa é melhor que a ONU. Eles fazem uma grande festa de paz entre povos tão diferentes. Você se sente em outra realidade. A animação é incrível. O clima de alegria é muito contagiante. As pessoas em geral, mesmo se você não sabe o que elas estão dizendo, são gentis, amáveis mesmo. Nossa é ... só estando lá! O acesso foi tranquilo também. Voluntários organizando tudo. Padrão Fifa aí ... muito bom. Acessando o estádio realmente percebi alguma falta no que se refere a acabamento. Muita coisa no cimentão mas nada que prejudicasse o funcionamento das coisas. E ao acessara área das arquibancadas veio o momento Oh. Ooooooooooohhhhhh ... QUE LINDO!!! De reformado, o estádio foi praticamente reconstruído. Não gostei do espaço entre uma fila e outra. Estreita demais. Troquei de lugar para um pai sentar ao lado da filha. Perto de nós muitos torcedores iranianos. Muito animados, cantando, com gritos de incentivo. Gente bonita pra todos os lados. Muito vazio meio hora antes de começar. Estava lotado 5 minutos antes do início da partida. Saudações nos alto-falantes  e a música da Fifa ecoa. Entram as seleções para o hino. Emocionado, sinto que minha Copa começou.

A água é seis reais. Mas você ganha o copo do jogo que virou mania de colecionador. Consegui dos 4 jogos de Curitiba, mesmo indo em 3.



O jogo da Austrália contra Espanha fui com meu pai que ficou super contente. Apesar de ambas já eliminadas, os australianos estavam bem animados com seus cangurus. Não curti as vaias á Espanha. Teve até briga mas nada grave. Neste jogo fui mais paramentado a lá Espanha. Venceu. O gol é o orgasmo do povo. Não importa quem marcasse, a galera queria ver a rede balançar. Claro que os australianos não pensavam assim. Mas como faz parte da festa, mesmo com a derrota estavam felizes. Estavam todos felizes no Brasil. Perguntei a um australiano e ele disse ter tido uma experiência muito bacana no país. No mesmo dia mais tarde fui com amigos num bar pra ver Brasil e Camarões. Australianos e espanhóis se misturando a brasileiros e cada um se comunicando do jeito que podia. Tive a impressão que todo mundo fala inglês fora do Brasil. Mesmo iranianos, argelinos e até alguns russos. Percebi que estamos muito atrasados no Brasil nesse aspecto.


Pro último jogo vesti a camisa da Rússia, pintei a cara de Argélia (com ajuda de minha mãe e de um legítimo argelino pintor de estrelas no rosto) e vesti um chapéu de Brasil. Embaixador da ONU. rsrs. E fiz sucesso com muitas fotos. Teve argelino que tirou foto comigo e me deu um cachecol. Adorei. No estádio, o hino russo emocionou. Fui kossaco na outra vida. Com empate de 1 a 1 a Argélia passou pela primeira vez as oitavas de final. E a festa ganhou as ruas de Curitiba. Um outro argelino quis trocar meu chapéu e ganhei uma bandeira enorme da Argélia. Virei argelino gritando "one, two, three, vive Algerie". E ainda ajudei um francês a se localizar. Fiquei muito feliz de participar daquilo tudo. Daquele espírito de que realmente você é cidadão do mundo.

A Copa do Mundo é uma grande festa dos povos. Acho que por isso a FIFA tem mais membros que a ONU. É o espírito de união face to face mesmo que não se fale a mesma língua. Ajudar e confraternizar com alegria. Consegui tentar animar um russo que daqui a 4 anos podem tentar de novo. Acho que ele disse pra eu ir ver.


Tentei me animar a curtir um pouco mais. Quem sabe uma semi-final em São Paulo. Mas uma punção lombar me tirou da Copa, assim como o Neymar, no mesmo dia do jogo com a Colombia. Curti na TV a chamada do "oooooeaaaaaaahhhhhh" dos outros jogos até a final e acho que fiquei com crise de abstinência. Será que é por isso que tem tanta gente que se programa e já foi a várias Copas? Acho que vou aceitar o convite do meu amigo russo.




sexta-feira, 11 de julho de 2014

7x1 e NADA presta!


Como tem gente infeliz nesse mundo brasilis de meu Deus. Foi só a seleção levar um vareio em plena Copa em casa que achou motivo até pra reclamar dos fogos que estavam soltando. Diz que vai torcer pra Argentina pois devido aos problemas do Brasil não devemos ser Hexa pois isso aliena o povo. Tá,mas seja inteligente e faça outra comparação. Torça pra Alemanha que além de futebol tem todo o resto que não temos. Inclusive um povo letrado e legitimamente patriota em que o futebol faz parte da nação e não é a nação. Conhece o que da Argentina: o Batel deles que é a Ricoletta em Buenos Aires? A estação de esqui de Bariloche? Tão pedindo moratória pela enésima vez.
Vá aprender história e compare o destino político do país nos anos de Copa. O que é que tem a ver? Copa do Mundo não muda eleição no Brasil. Causa uma guerrinha só.
Saúde e educação? 64 anos da última Copa e nunca foi investido. Por que vc acha que essa Copa é a culpada? O Lula trouxe a Copa mas todo mundo de todos os partidos queriam ser sede. Até a Marina Silva queria estádio no Acre!
Ah, vc acha que a Copa foi um fracasso porque vc não descolou uns trocos a mais. Copa não é pra enriquecer o padeiro da esquina em 15 dias. Legado é se vão asfaltar a sua rua ou a rua do vizinho atrás de vc? Mas se tiver bloqueio no dia de jogo aí tudo já vira uma merda só, não é verdade? Maldita Copa.
Eu adoro Copa. Sempre gostei. Desde molequinho. E me divirto um monte nesses dias de Copa. Fico até triste o dia que não tem jogo. E sabe por que eu gosto e curto bastante? Porque eu sei que essa festa não vai mudar a minha vida em nada. A Copa não é a responsável por nenhuma mazela que eu passe. A responsabilidade de eu ter ou não saúde e educação é minha, das minhas escolhas, das minhas lutas. De eu dar um troco certo; de ser gentil com um estranho; de estacionar em vaga certa e de escolher um bom candidato que não asfalte só a minha rua, mas também a rua de quem mora do outro lado da cidade e que pra isso não custe o mesmo que asfaltar a cidade inteira.

Uma derrota de 7x1 não vai trazer o metrô de Tóquio, nem a saúde da Suécia, nem a economia da Alemanha nem os Nobel dos EUA muito menos a educação coreana. Vamos nós ter que buscar isso com ou sem Copa ou Olimpíada ou os caralho a quatro. Vamos parar de só colocar a culpa em tudo e todos. A gente faz parte do todo.

Ria mas sem esquecer os motivos certos que nos trouxeram até aqui. Isso é maturidade.

Ser feliz é o desejo de todos mas quase ninguém sabe que ser feliz exige grande responsabilidade. E responsabilidade é algo que muitos tem medo.

Se não é a Copa é o carnaval, se não, é a obra que nunca termina e assim vai. Alemanha tem Oktober todo ano e bebem muito mais cerveja que a gente. E daí? De reclamação de ocasião já bastam os políticos que precisamos eliminar. Relaxa aí, solta os rojões com o vizinho porque não dá pra guardar até 2018. E foca no foco e deixa a Copa terminar em paz. Falou? Tamo junto irmão. Abraço. E dá-lhe Alemanha domingo.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

EU SEI O QUE VOCÊS FIZERAM NA COPA PASSADA!

Olá agentes convocados. 007s de plantão, Mataharis, Salts (pra quem gosta da Jollie) e todos aqueles que viram Teoria da Conspiração com a Julia Roberts e Mel Gibson dezenas de vezes.

Como James Bond se perdeu num Cassino Royale por aí sobrou pra mim mesmo desvendar essa Missão Impossível. Afinal, por quê diabos o Brasil não ganhou a Copa em casa? De posse de alguns fatos nada secretos faço uma análise de  "quem disse que era pra gente ganhar essa Copa?" Não é nossa vez.

Analisando as Copas desdea de 1970 chegamos a algumas coincidências bastante estranhas para dizermos que são apenas coincidências. Pasmem mas há uma força oculta por trás disso tudo que precisamos descobrir qual é para salvar o mundial de 2018. Porque esse já foi pro brejo. 

Vamos as pistas.

O Brasil foi tri-campeão em 1970 e demorou 24 anos pra chegar ao tetra.

A Itália foi tri em 1982 e demorou 24 anos pra chegar ao tetra.

O tri da Alemanha foi aem 1990, portanto a 24 anos. BINGO.

Em 90 na Itália deu Alemanha. A Itália ficou em terceiro disputando com uma seleção europeia.

Em 2006 na Alemanha deu Itália. A Alemanha ficou em terceiro contra uma seleção da Europa.

Quem é o dono da casa em 2014 que vai disputar o terceiro lugar com uma seleção européia? BINGO 2.

Agora vamos ás coincidências mais extravagantes ainda. Eu era muito novo pra entender de política e esportes então vou analisar as coisas da Copa de 90 pra cá.

Em 1989 cai o muro de Berlin. Alemanha Oriental e Ocidental se reunificam. É preciso reacender o sentimento do nacionalismo alemão unindo a pátria através de sua alma. Que tal uma Copa do Mundo? Alemanha Tri-campeã Mundial em 1990 .

O primeiro presidente eleito diretamente pelo povo após mais de 40 anos no Brasil é deposto por impeachment. Fernando Henrique Cardoso, então ministro da economia coordena um plano econômico para conter a inflação e cria o plano Real. Morre Ayrton Senna, herói nacional da Fórmula 1. Medo, tristeza, frustração e incertezas dão lugar a esperança e a uma auto-estima renovadas. Brasil é tetra campeão mundial da Copa do Mundo nos Estados Unidos.

 Em 1997 e no começo de 1998 a França enfrentava uma grave crise social com protestos nas ruas, principalmente nos subúrbios de Paris com centenas de veículos incendiados. Depredações, protestos e prisões cessam alguns meses antes do início do Mundial que seria na própria França. Na final, a seleção do Brasil sofre um apagão até hoje inexplicado perdendo de 3 a zero para os comandados de Zidane e a França, em casa, conquista seu primeiro Mundial.

Mesmo com pouca tradição no futebol, Coreia do Sul e Japão dividem a realização do Mundial de 2002. França, atual campeã, cai na primeira fase. A Copa está sob a sombra dos atentados de 11 de setembro de 2001. Na partida entre Irã e EUA, os iranianos ofertam flores brancas aos americanos numa das cenas mais emocionantes do Mundial. Nas quartas de final a Espanha é roubada absurdamente com 3 gols anulados que fazem a Coreia do Sul, anfitriã, chegar a semi-final e terminar a Copa em quarto lugar. Dono da casa é dono da casa. (Terceiro lugar é nosso Holanda, nem vem)

Em 2005 o futebol italiano foi sacudido com denuncias de manipulação de jogos para beneficiar a máfia das apostas. Jogos foram cancelados, cartolas afastados, times penalizados e até rebaixados. A própria Azzura, seleção italiana, fica desacreditada. Mas logo passa. Itália se sagra tetra campeã mundial na Alemanha em 2006. Olha só que superação.  

A crise americana de 2008 atinge a Europa e vários países entram em recessão. A Copa de 2010 na África do Sul, primeira no continente africano, assiste a ascensão de um novo campeão. A quase falida Espanha vence seu primeiro mundial (e não passa da primeira fase no mundial seguinte. Virou mania).

Uma grave crise política eclode no Brasil a um ano da Copa do Mundo no país. O evento teste, a Copa das Confederações é realizada em meio a milhões de brasileiros nas ruas clamando por melhorias sociais. A até então poderosa Espanha perde a final do torneio para o recém formado time de Felipão  Os protestos acabam. Droga gente. Cadê a galera do "não vai ter Copa" nas ruas? Vocês protestaram na hora errada  Não ganhar a Copa em casa é chato. A gente gastou tanto. Os estádios ficaram bonitos e todo mundo, até lá de fora, está dizendo que fizemos a Copa das Copas. Pra ser perfeito a gente que tinha que ganhar. Tudo bem. Vai ver a crise na Argentina tenha virado pior que a nossa. Eles não pagam nem o FMI. Mas a gente levando de sete na semi e eles indo pra final na nossa casa é pra negociar duas taças aí pra frente. Uma em cima deles no mínimo. 

Tem problema não. Pelas contas 2026 é nosso Hexa. A não ser que uma catástrofe se abata sobre nós antes disso e a Fifa nos console com uma tacinha antes do tempo. 

Parabéns Alemanha!

terça-feira, 1 de julho de 2014

A gente só fica puto mesmo quando fodem com o que a gente ama!



Com o arrefecimento da crise política atual do Brasil parece que a ortodoxia tem crescido junto ás opiniões a favor e contrárias á Copa.

Só não cresce o PIB do Brasil nem o bom senso.

É a lógica binária que o Sakamoto exemplificou muito bem. "CRICAQUI" (Vejo pedras vindo em minha direção em 3, 2, 1 ...).

Enfim. A Copa começou e o #nãovaitercopa se rendeu ao #tatendocopasim para convulsões estomacais dos coxinhas de plantão e pessimistas de carteirinha  Imagina na Copa.

Nem precisa mais imaginar. A Copa do Mundo do Brasil esta sendo um sucesso dentro e fora do país. Como vários meios de comunicação estrangeiros já disseram essa está sendo uma das melhores Copas. Pela qualidade dos jogos, quantidade de gols e pelo clima que o povo brasileiro imprimiu á festa. Nenhum grande incidente foi registrado além dos de costume - bebedeiras, um ou outro torcedor mais exaltado e tal. A mobilidade deu conta e nenhum aeroporto caiu. E até as superfaturadas arenas estão sendo elogiadas (também né!). "Imagino" que essa Copa já está deixando é saudades.

A FIFA não vende futebol. Vende paixão e emoção através do esporte. Não é a toa que tem mais membros que a ONU. Qualquer análise pura e simplesmente pragmática e racional sobre o evento não se sustenta por muito tempo. Claro que especialmente no nosso caso não podemos esquecer de tudo que nos custou realizar essa Copa. Mas que lembremos disso oportunamente ao invés de tecer tanto mimimi e se arrepender depois (clique AQUI artigo que fala dos arrependidos da Copa). Já que a festa está bem paga o negócio é curtir agora e apresentar a conta a quem organizou na hora certa.

A conta parece estar perto dos 35 Bilhões. A mais cara de todas. Mas engana-se quem acha que esse dinheiro seria muito bem usado em saúde, educação e infraestrutura. A ultima Copa foi a 64 anos. O que aconteceu de lá pra cá com saúde e educação se não tivemos Copa? Melhorou por acaso? E bem ou mal melhoraram uns aeroportos. Fizeram umas pontes e viadutos novos e até asfaltaram umas avenidas (a que liga o aeroporto de Curitiba ao centro da cidade estava um caos até uma semana antes do primeiro jogo na cidade que foi dia 16 de junho). Mas fizeram. Não quero Malufizar, por isso insisto que a conta deve ser apresentada aos governos em outubro. E reclamar depois que está tudo mais ou menos pronto também não adianta. Assim como as obras, os protestos também estavam atrasados.

E tem ainda os que acham que se o escrete nacional perder fica mais fácil mudar o governo. Ganhe alguns minutos de conhecimento e assista o vídeo abaixo. Por favor de você mesmo.



Você apaixonado, cônjuge dedicado, chega um dia mais cedo em casa e no corredor encontra uma cueca que não é sua (ou calcinha). Entra no quarto e vê a cena: a coisa que você mais ama na vida está te traindo  Tão fodendo, literalmente, com o que você mais ama.

Eu acho que a falência da saúde, educação, transportes e afins não causou tanta comoção quanto a organização desta Copa que era pra ser a Copa do povo mesmo, no sentido mais humano da coisa. Mesmo os protestos de junho de 2013 onde se dizia não ser só por 20 centavos, foi desencadeado pelas cifras divulgadas com o mundial nacional. Eu acho que é por isso que tem tanta gente fula da vida discorrendo os maiores impropérios em debates reais e virtuais sobre a Copa, sua organização e legado. Tanto melhor.

Se antes as necessidades básicas dos brasileiros não inspiravam tanta revolta, talvez ter feito um mundial do jeito que fez, a preço de dois/três, tenha sido o melhor tiro no pé que o governo já deu. Pegou no coração do brasileiro (e olha que no jogo Brasil e Chile teve gente que infartou e morreu, sem trocadilho).

Legado? Mais que estradas, aeroportos e Arenas, as quais algumas servirão pra disputar final de campeonato de várzea como em Manaus e Cuiabá, e uma taça de ouro, o melhor legado espero que seja o despertar de uma consciência política mais profunda na população em função de todos os acontecimentos oriundos desse mundial. Da nossa paixão que nos foi traída.

Tudo indica que teremos prorrogação em outubro. Mas que o povo que faz este país que seja o campeão  E que nossa alegria não ofusque nossa memória




quinta-feira, 19 de junho de 2014

A Copa que não veio para Curitiba


 Bem amigos futebolísticos de Copa, falamos ao vivo da Arena da Baixada em Curitiba, onde gastou-se mais que o dobro do orçamento inicial para sediar uma amostra grátis de Copa do Mundo que acabou bem cara.

Quando o Brasil foi nomeado para sediar esta Copa a FIFA exigia oito sedes. Nosso querido comitê local bateu o pé em doze sob o pretexto de integrar o país mostrando ao mundo todas as regiões brasileiras. Pra quê? Claro, quanto mais sedes, mais gastança e mais uns por fora. Daí claro que os absurdos só aumentaram. Como alto gasto e o excessivo número de sedes no mínimo você já de cara tem a saber que cada sede será menos rentável em função do reduzido número de jogos por sede. Mais sedes, menos jogos por sede.

Vamos analisar a coisa só pela parte prática esportiva, pois sabe-se dos interesses comerciais e políticos. Os piores elefantes brancos serão Cuiabá e Manaus. Pessoal, os estados dessas duas capitais não tem times nem na segunda divisão nacional. O que farão com esses estádios depois da Copa? A FIFA vai levar junto quando for embora? Vão pagar pra times nacionais jogarem lá? Cada cidade sediará 4 jogos da primeira fase.

Fortaleza e Natal tem times na segunda divisão mas não justifica estádios padrão FIFA. Fortaleza ainda sediará um jogo das oitavas e um das quartas de final. Aliás, por que 4 sedes no Nordeste?  Reduto petista? Ah, entendi.

Brasília também não tem times na 1a nem 2a divisão do nacional. Mas é a capital federal. Que seja.

Então com jogos apenas na primeira fase temos Manaus, Natal, Cuiabá e Curitiba. CURITIBA? A cidade que quase não teve Copa por mal conseguir aprontar o estádio que diziam estar meio pronto acabou com uma meia Copa. Preterida pelo comitê local e pela FIFA a capital paranaense que tem dois clubes na primeira divisão (Atlético PR e Coritiba que já foram campeões nacionais) e é uma das cidades mais desenvolvidas do Brasil (não é nenhum primeiro mundo, mas ...) acabou também com apenas 4 jogos. Só que com os mais sem-vergonha.

Manaus tem Inglaterra e Itália e terá Portugal e EUA. Natal terá Uruguai e Itália. Cuiabá também não teve muita sorte mas teve um ótimo Chile e Austrália na primeira rodada. Curitiba teve o jogo mais terrível da primeira rodada entre Irã e Nigéria. Jogo muito ruim onde nem gol saiu. A Arena da Baixada ainda terá Honduras e Equador que perderam o jogo de estreia que tem no grupo Suíça e França. E tem dois jogos da terceira rodada que geralmente é jogo de eliminados ou desesperados. Grande decepção quem poderia salvar a Copa na capital dos pinheirais é a atual campeã a Espanha que vai cumprir tabela no jogo dos eliminados com Austrália na próxima segunda 23/06.  E encerrando a participação curitibana na Copa dia 26 teremos Argélia que perdeu da Bélgica de virada e a Rússia que só empatou com os coreanos na primeira rodada. Espero que a qualidade e importância desse jogo salve a empolgação da Copa em Curitiba.

Copa é uma celebração de culturas. Participar de um jogo é uma emoção ímpar mais do que a qualidade técnica do jogo em si que ocorre no gramado. Se a força política do Paraná é pífia ou se a culpa foi da mão de privada que sorteou os grupos da Copa agora é tarde pra falar. Mas que fique registrado. Em reportagem recente a FIFA elegeu Curitiba junto com São Paulo as melhores sedes da Copa. Se vale como console, ontem assistindo a Rede Bandeirantes, Milton Neves falando dos jogos comentou: "Curitiba não merecia isso, tinha que ter jogos melhores".





quinta-feira, 5 de junho de 2014

E a Globo esqueceu Romário.


 Sensação da Copa de 1994, Galvão Bueno, o amado odiado locutor oficial da seleção, só falava do talento do "baixinho", Romário. Lembro como se fosse ontem, ele era o que o Neymar é hoje em dia. Tinha 20 anos de idade e o Brasil obtivera seu último mundial 24 anos antes, em 1970. 

Era Romário pra cá, Romário pra lá. Nesse aspecto nada mudou. Assim como é a bajulação com o Neymar (acordando, correndo, treinando, tirando meleca do nariz, soltando pum) era com Romário, que junto com Bebeto, faziam a grande dupla de ataque da seleção daquele mundial. Foram responsáveis por um dos melhores jogos da Copa, contra a Holanda, num 3X2 que entrou para a história também pela comemoração do segundo gol do Brasil, feito por Bebeto, que comemorou imitando o gesto de embalar em seus braços o filho recém nascido, Matheus. Todo mundo se emociona até hoje com essa lembrança que virou o símbolo daquele mundial.

Mas a Globo esqueceu Romário. Numa retrospectiva que passou no Jornal Nacional, Galvão falou da grande amizade de Bebeto e ... Leonardo. É, Leonardo, que no jogo anterior, contra os donos da casa os Estados Unidos, foi expulso por dar uma cotovelada num jogador americano e que não jogaria mais naquela Copa.

Romário sempre foi meio polêmico. Grande jogador do Flamengo e do Vasco era famoso por não aparecer nos treinos. "Treinar pra quê" era seu bordão que até virou música. Foi preso por não pagar pensão e teve uma bela cobertura no Rio hipotecada  em função disso. Romário saiu das manchetes de jornais e entrou para a política. Atual deputado federal pelo Rio de Janeiro, tornou-se um dos principais críticos da Copa do Mundo no Brasil em função dos gastos exorbitantes, a falta de planejamento, cumprimento de contratos e prazos e de tantas obras inacabadas ou mal feitas. Mas o mais expressivo são as críticas ás declarações infelizes de personalidades do esporte que abandonaram o bom senso em função de interesses pessoais como Pelé e Ronaldo e a própria Globo que acham que tudo se resolve com uma vitória da seleção. 


No bom e velho estilo "ninguém desafia os interesses da Globo", Romário foi pra geladeira. Mesmo suas críticas pertinentes não ecoam nos noticiários da emissora carioca. Afinal, como diz a musiquinha "... com o coração batendo a mil / é taça na raça Brasil". E que raça. Oh racinha! 


segunda-feira, 2 de junho de 2014

Você mora no meu coração ... mas está a meses com aluguel atrasado!

Meu coração é um condomínio! Ouço essa frase frequentemente e mesmo eu já a usei algumas vezes. Tudo bem se você ama todo mundo e loteia seu coração colocando tanta gente pra dentro. É a cohab do amor e entendo que quem a gente gosta não poderia guardar em outro lugar mesmo. 

Mas como todo condomínio por vezes a gente tem problemas com algum inquilino. Afinal todo amor tem seus altos e baixos e na hora de reservar a churrasqueira ou pagar o condomínio tem gente que as vezes não colabora. Dependendo do condômino, pode botar "a predinho na chon".

Nos primeiros andares está a família. A base. Vira e mexe reforma no prédio, são a eles que acabamos pedindo opinião. Afinal eles também moram lá e sem previsão de mudança são os mais interessados em qualquer eventual reforma ou ampliação. Ou demolição. As vezes você passa semanas sem bater na porta deles mas são os que mais falam na reunião de condomínio. Dão pitaco em tudo. 

Nos outros andares estão os amigos. Na verdade eles estão mais no salão de festas. O movimento nestes andares de xícaras de açúcar, fatias de bolo e até de roupas é intenso. Quando se chama o elevador é num desses andares que ele estava parado. As vezes se passam semanas ser ver esses inquilinos também. Mas se rolar um vazamento (geralmente vindo da cobertura) eles aparecem do nada com lenços, bons conselhos, garrafas de vodka e até ingressos pro cinema para alguma comédia pastelão só pra te fazer rir. Os amigos que moram nesse prédio são os que você realmente pode contar.

Agora, a cobertura é um caso sério. Ampla, sempre bem decorada. Com vista pro mar. Devia ser ocupada por um parente ou um amigo especial. Mas é o amor de nossas vidas que geralmente colocamos lá.

Quando o inquilino que mora na cobertura cuida bem do imóvel o prédio funciona que é uma beleza. Nem elevador precisa de manutenção. Usa o playground com frequência e ajuda a organizar tudo depois. Até ajuda a lavar. Não atrasa o aluguel nem o condomínio. E vez ou outra tem festa que, se não incomoda os vizinhos, até os convida para participar. 

Mas quando o amor que mora lá não faz jus ao aluguel, o prédio desanda. As visitas aos andares de baixo começam a ser mais frequentes. Playground só de chegar perto pode pegar tétano, corroído pelo abandono. Não tem mais festa na cobertura. Começa a atrasar o aluguel e o condomínio. A falta de assistência leva ao caos: estoura o encanamento. A água sai pelos olhos. 

Você tenta protelar o inevitável; promete reforma, melhorar a entrada do prédio com paisagismo, comprar uns brinquedos novos para o playground. E o ocupante da cobertura atrasa mais um aluguel. E estoura outro cano. E mais outro. O pessoal que mora nos andares mais abaixo reclamam. Os dos primeiros andares, que lhe veem chegar e sair sempre cabisbaixo, dizem que precisa de um novo inquilino na cobertura. E quando não se pode fugir mais, dá-se a ordem de despejo. 

Nesse dia parece que explodiu a caixa d'água e o prédio nos próximos dias fica virado numa Cantareira seca. Logo os andares de baixo se ajeitam. Você faz até uma festa no playground. Mas precisa se preparar para a reforma na cobertura.

As vezes demora. Não pode ter pressa. Ali onde morava o amor que você achou que nunca ia precisar botar pra alugar de novo, a cada pincelada de tinta é um misto de lembranças boas e ruins. Deixe a tinta secar a seu tempo. Quebre uma parede se for preciso mas cuidado com os canos. Lembre os porquês dos vazamentos do último inquilino. Aprenda com o último morador e remende as rachaduras pro próximo inquilino não ir morar numa cobertura mal-assombrada. E quando terminar, não tenha pressa de alugar de novo. Curta VOCÊ a SUA reforma. Pior que um coração recém reformado é um mal cuidado.

E você: o atual inquilino tá dando conta ou está precisando de uma reforma?

quarta-feira, 28 de maio de 2014

O dia a dia da seleção na Rede 100Assuntos de Televisão!


BEM AMIGOS ... da blogosfera!

Estamos mais uma vez aqui ao vivo gravado do celular, direto da "granja" da Sadia para lhes contar as ultimas novidades dos problemas do Brasil.

Pegadinha gente. Quem liga pra isso? (Risadas do narrador em off).

Estamos aqui para lhes mostrar o dia a dia de nossa amada idolatrada salve-salve-pelo-amor-de-Deus-assistam-pra-dar-ibope seleção de futebol ás vésperas da roubada, digo, Copa do Mundo.

Começamos com a estrela do time, o Deymar. Ontem em entrevista coletiva, só para nós, ele disse que aos três anos já queria ganhar uma Copa do Mundo. É minha gente, estrela brilha cedo. Eu com essa idade queria que mamão não errasse a hora do meu Neston com banana. Felomenal!!!!

Por falar em banana, o craque Manoel #somostodosmacacos Alves, deixou o médico da seleção preocupado. Com tanta banana que o Luciano Hook fez ele comer, ele acordou com prisão de ventre e está em tratamento na camara de gás. Camara de gás não é exclusividade só da seleção da Alemanha. Nossa seleção também merece o melhor.

Nosso goleiro passou pelo geriatra e os remédios de Alzheimer estão em dia. Ele não vai esquecer de pegar a bola.  

Davi Ruiz, logo que acordou abriu os olhos. Isso é fantástico. E logo depois foi ao banheiro. Ele não acordou barbeado, nem penteado, nem maquiado como as protagonistas das nossas novelas. (Oooohhhh...). 

Mas a grande preocupação da comissão técnica é o técnico que anda chegando tarde aqui na concentração em vista dos comerciais de carro, lasagna congelada, bacalhau de supermercado que anda gravando. A oposição diz que mesmo que a seleção perca esse mundial ele vai ter carro zero e guaraná até o fim da vida. 

Vira essa boca pra lá. Ele já ganhou uma vez vai ganhar de novo. 

Sim, comercial ele nunca perde.

E agora quem está chegando aqui é o Barcelo, que final de semana venceu a Briga de Bairro dos Campeões da Europa entre Leal e Patético, ambos de Madrid. E está chegando cheio de caixas. Que caixas são essas, Barcelo?

São umas bebidinhas que eu trouxe pra rapaziada. Uns vinhos do Porto e tem uns tintos espanhóis também 

Mas coube tudo no avião? 

No avião foi fácil. Duro foi na alfandega deixarem passar. Os ficais queriam uns por fora mas depois ficou na moral. Dei uma carteirada da CBF e ...

Obrigado Barcelo. E não percam a qualquer momento mais informações da seleção que a gente está pagando horrores pra entrevistar.

Abraço e até a próxima.