domingo, 27 de julho de 2014

Como me usaram para tirar o Neymar da Copa.

http://og.infg.com.br/in/13144911-853-50f/FT1500A/550/2014-730945570-20140704224102924ap.jpg_20140704.jpg

Nada como começar uma sexta-feira com uma bela apunhalada nas costas.

Dramas menores a parte, mas como ando realmente com um sentimento de que alguém lá em cima adora tirar uma onda com a minha cara, o que me resta é encarar a coisa com um pouco de humor e sarcasmo. Afinal, como diria mestre Yoda "para ninguém, fácil está".

Como já relatei sou transplantado duplo (pâncreas/rim) desde outubro de 2013. De lá pra cá venho num processo de readaptação a várias coisas. Não parece, mas tenho dois órgãos dentro de mim que eram de outro ser humano e isso não funciona como um simples "plug and play".  A verdade é que uma cirurgia desse porte lhe trás efetiva qualidade de vida a partir de 1 ano. Ou seja, para mimainda não chegou totalmente.

Claro que não preciso mais tomar injeções de insulina de 3 a 5 vezes por dia, nem mesmo ficar ligado a uma máquina de hemodiálise por 4 horas 3 vezes por semana. Já isso vale qualquer esforço de uma cirurgia de transplante e tempo de recuperação tomando milhares de comprimidos. Mas muitas coisas podem acontecer no pós operatório só que a gente não fica muito preparado pra elas. Meio que liga no automático e "vai". Mas vai daquele jeito né.

No começo deste ano apareceu um problema neurológico que me tirou a força da mão esquerda e depois a firmeza nas pernas. E também meu pé direito está tipo anestesiado desde então. Caminho normalmente na maioria das vezes mas não é difícil ter de utilizar de uma bengala para caminhadas mais longas. Correr ou dar um pequeno salto que seja é risco de ir ver o chão bem de perto. Ao ir na Arena da Baixada ver jogos da Copa aqui em Curitiba, quando me empolgava com a torcida em comemorar um gol, era um salto e em seguida uma sentada pois não conseguia manter o equilíbrio pra continuar de pé. Dançar? Melhor não arriscar.  Quanto a mãe esquerda a coisa é mais complicada. Imagine tudo o que você faz comas duas mãos. Mas faça agora usando somente os dedos mindinho e o seu-vizinho da mão esquerda (se for canhoto, inverta a mão). Abotoar camisa ou a calça, amarrar calçados, lavar a louça, cortar algum alimento usando garfo e faca (você usa a força do braço sobre a faca e quem vê acha que você esta esquartejando um boi), segurar algo mais pesado ... enfim. É complicado. Falando assim você até pode achar que não é pra tanto, face eu comentar isso com algumas pessoas e elas fazerem cara de paisagem. Tenta aí e depois me fala, só não vale trapacear.

Depois de uns dois diagnósticos de neurologistas que não convenceram muito procurei outro indicado por minha médica do transplante a dra Fabíola idolatrada salve-salve. Sério gente, ela é demais. Então fui ter com o neuro que disse pra fazer um exame chamado liquor. É uma punção lombar que tira líquido da espinha pra ver se o sistema nervoso está com processo infeccioso e que esteja causando essas alterações. Aí que entra a apunhalada nas costas.

Anestesia local. Fica sentado. E "puff". Sua coluna é espetada por uma agulha que deve ter uns 10 centímetros. Era a mesma sexta-feira do jogo do Brasil contra a Colombia. Tirando a sensação de desconforto até que não doeu. O médico disse pra tomar paracetamol e café se doesse e repousar. Beleza. Deu tempo de chegar em casa e ver o segundo tempo de Alemanha e França e se preparar pra torcer pelo Neymar.

Mas aí a anestesia foi passando  E eu ia me curvando pra tornar aquela dorzinha mais simpática. Aí que descobri que meu neuro era alemão. Ele fez vudu em mim e no jogo do Brasil ... creck ... quebrou a vértebra do Neymar. Desgraçado, por que ele não usou uma rã ao invés da MINHA coluna? Punção na coluna dos outros é refresco. Dois paracetamol na boca e vou tentar dormir. Acordo as 4h da manhã urrando de dor. Não tinha posição que me fizesse não ter a sensação de que a agulha ainda estava na minha espinha. Paracetamol, compressa de água quente e até café forte ...nada. Sete da manhã serviço de emergência batendo na minha porta. Injeção de tramal no músculo e comprimido de Tylex, que tem morfina na fórmula, pra sobreviver ao final de semana. Com picos de melhora e de "deixe eu sair deste corpo que eu não pertenço", assim fui de Tylex de 8 em 8 horas que acabaram sendo de 4 em 4 hs. Eu até pensei em tentar ir ver uma semi-final em São Paulo. Mas assim como o Neymar eu também estava fora da Copa. Na terça feira pra consulta de retorno com o resultado do exame: BINGO, claro que meus nervos estão infeccionados. 

Reclamei de boa como dr Fritz (nome fictício) que ele podia ter avisado do pior quadro da pós punção. E se ele não tinha dó de ter feito o que fez com o Neymar EM MIM. Podia ter receitado o que o Neymar tomou que dois dias depois estava andando e até carregando mochila nas costas. Piadas a parte, vão fazer 20 dias que saí de 10mg diários de cortisona para 60mg. Estou um pouco mais inchado, com o rosto levemente vermelho, com mais fome e até agora com mãos e pernas do mesmo jeito: tudo ainda estragado sem melhorar nada. 

É cada uma que parecem cinco e ainda tento rir. A debilidade nas mãos me evitam de exercer atividade profissional pelo qual estou de licença. E a gente vive. A gente vai se adaptando até a hora que não dá mais. De uns dias pra cá voltei a sentir dores nas costas. Mais para o lado direito como uma pontada dependendo da posição que faça. Talvez uma nevralgia retardatária em função da dor da punção. 

Entre um gemido de dor ou outro coloco um sorriso maroto na cara e vou vivendo e curtindo o que é possível. A dor tem todo o direito de nos desafiar. Mas o sofrimento nunca pode nos vencer. E quando precisar grite uns bons palavrões pelo ar de vez em quando em alto e bom som. Só pra deixar claro quem é que manda.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Ao lado da Compadecida.

Não sabia que sentiria tanto a morte de um autor. Por isso escrevo em lágrimas. Mesmo conhecendo pouco de suas obras, sinto que o que conheço é a obra de um homem ligado a sua terra e que usava de suas palavras como um farol que sempre guia nossa alma de volta para a casa, para a terra onde nascemos, para nossa miserável brasilidade.

"não sei, só sei que foi assim..."

Obrigado Ariano Suassuna (1927 - 2014)


Acho que é essa admiração que nos faz sentir tão íntimos de alguém que nunca conhecemos pessoalmente. Acho que começou com uma montagem de Antonio Abujanra do "Auto da Compadecida" no festival de teatro de Curitiba a muitos anos. Anos depois com a bela produção da mesma obra para a TV com Selton Melo e Matheus Nachtergaele que ganhou o grande público. No carnaval do Rio várias escolas já homenagearam sua obra e sua pessoa. Por vezes sempre esteve presente em festivais literários e de cultura brasileira sempre afirmando sua brasilidade.

E assim ia Suassuna. Não ia muito mas ia. Não era midiático mas sua personalidade não deixava de aparecer quando necessário. Defensor de nossa cultura e raízes defendia que não trocava seu "oxente" pelo OK de qualquer doutor.

É doutor Suassuna, seu entendimento de nossa terra e dos filhos deste chão nos tornou íntimos sim. Mesmo sem termos nunca nos encontrado. Nos encontramos sim nas palavras, na postura, no jeito de se achar a alma perdida longe da terra de onde se nasce. Você nos deu o pertencimento a um chão. Um dna da terra.




domingo, 20 de julho de 2014

Só nossa insignificância se compara a nossa ignorância.


 As ironias da existência humana. Passamos aqui algumas semanas de um espírito de congraçamento e confraternização entre pessoas das maiores diferenças possíveis se atentando até pouco para uma realidade bem diferente disso. Mas nem um pouco estranha ou nova. 

Meu post anterior falava da alegria da Copa do Mundo. Da emoção de estar entre tanta gente de longe na maior paz e no dia seguinte a realidade nos mostra crianças morrendo num jogo de eterno poder injustificado. Um avião civil é derrubado com 300 a bordo sob o pretexto de ter sido atingido ACIDENTALMENTE numa zona de guerra e eu fiquei muito putin da vida com isso. Parem o mundo que eu quero descer. Ou melhor, subir. Quero ir embora desse. Mas ir pra onde? Numa perspectiva realista só temos esse.

Eu estava pensando em discorrer sobre os pontos que levaram ao início de guerra na porra daquela Terra Santa do pau oco. Separei até uns links pra gente tentar entender como começou. Por que não acaba? Por que ninguém faz nada? Entendendo ou não, vão continuar matando inocentes.

Aí, enquanto a xícara de chá esfria ao frigir dos seus pensamentos numa noite a La Frozen em Curitiba cai uma mensagem na minha timeline que simplesmente é a síntese do meu sentimento sobre tudo aquilo que esta acontecendo, de novo.

Nossa insignificância só pode ser comparada a nossa  ignorância. Eu só posso pensar que quem tem o mínimo de percepção da existência além de si mesmo, ao ver este maravilhoso vídeo, vai acabar como eu: chorando. Por que "somos" assim? Por que?

 

quinta-feira, 17 de julho de 2014

Foi muito bom! Falta muito para a Rússia?



Gente, vou falar uma coisa pra vocês. A Copa do Mundo do Brasil acabou e fiquei com gostinho de quero mais. Nossa, foi tão legal. Na verdade não me desembestei a ver jogos pelo Brasil a fora entupindo o programa de milhagens de cias aéreas. Com todas as notícias pré Copa principalmente depois dos protestos de junho de 2013 acabei perdendo o tesão  

Aí veio o sorteio de grupos. Me animei um pouco e fiz aquele cadastro no site da Fifa pra participar do sorteio de ingressos para os 4 jogos de Curitiba. Ainda em recuperação da cirurgia e passagens aéreas a custo de cruzeiros na lua decidi tentar investir numa Copa do Mundo mais doméstica. Mas quando recebi e-mail da Fifa que não tinha sido sorteado fui logo pensando: fica para a próxima (como se a Rússia ficasse ali).

Aí o tempo foi passando, aquele vuco-vuco de Copa chegando. Obras e placas de Stadiun Arena, Curitiba City, Fan Fest for All etc e tal, seleções chegando, a Espanha ficaria em Curitiba, pensei: por quê não?

A duas semanas do início dos jogos acessei o site da Fifa e com aquele lance dos lotes de ingressos, selecionei Curitiba e ... tchan tchan tchan INGRESSOS DISPONÌVEIS. Meeeooooo, o coração disparou. Emoção. Quando cliquei na categoria de ingresso, quantidade, pagamento e tal e o estatutos apareceu SOLICITAÇÃO EFETIVADA COM SUCESSO, quase surtei de alegria. Fiquei tão contente que mal dormi. Iria ver Irã X Nigéria e também Argélia X Rússia. Estava contaminado pelo espírito da Copa. Agendei data e horário para retirar os ingressos no Tickets for Fan da Fifa que estava instalado num shopping e no dia seguinte estava lá. Tudo muito fácil e rápido. Com os ingressos e o manual do torcedor na mão me senti como com um troféu. Eu ia ver a Copa do Mundo.

O sistema te indica o assento, fileira e tal. Só seleciona a categoria de ingresso. Do lado, nos cantos ou atrás do gol. Não satisfeito decidi investir em mais dois ingressos. Mais umas 4 madrugadas acordado consegui para o jogo de Austrália x Espanha o qual levei meu pai junto como presente de aniversário pra ele. E a Copa começou.


Tinha uma verdadeira zona de exclusão de várias quadras ao redor do estádio onde só chegava morador ou com ingresso. Tinha um transporte específico mas não achei nem usei. Deu pra usar o transporte coletivo comum até um shopping próximo e andar algumas quadras até o estádio que é até bem central aqui em Curitiba. O clima de Copa mesmo já começava ali. É um clima tão fraterno. De confraternização que não há rivalidade nenhuma mesmo. Isso que é fascinante. Parece que a Fifa é melhor que a ONU. Eles fazem uma grande festa de paz entre povos tão diferentes. Você se sente em outra realidade. A animação é incrível. O clima de alegria é muito contagiante. As pessoas em geral, mesmo se você não sabe o que elas estão dizendo, são gentis, amáveis mesmo. Nossa é ... só estando lá! O acesso foi tranquilo também. Voluntários organizando tudo. Padrão Fifa aí ... muito bom. Acessando o estádio realmente percebi alguma falta no que se refere a acabamento. Muita coisa no cimentão mas nada que prejudicasse o funcionamento das coisas. E ao acessara área das arquibancadas veio o momento Oh. Ooooooooooohhhhhh ... QUE LINDO!!! De reformado, o estádio foi praticamente reconstruído. Não gostei do espaço entre uma fila e outra. Estreita demais. Troquei de lugar para um pai sentar ao lado da filha. Perto de nós muitos torcedores iranianos. Muito animados, cantando, com gritos de incentivo. Gente bonita pra todos os lados. Muito vazio meio hora antes de começar. Estava lotado 5 minutos antes do início da partida. Saudações nos alto-falantes  e a música da Fifa ecoa. Entram as seleções para o hino. Emocionado, sinto que minha Copa começou.

A água é seis reais. Mas você ganha o copo do jogo que virou mania de colecionador. Consegui dos 4 jogos de Curitiba, mesmo indo em 3.


video

O jogo da Austrália contra Espanha fui com meu pai que ficou super contente. Apesar de ambas já eliminadas, os australianos estavam bem animados com seus cangurus. Não curti as vaias á Espanha. Teve até briga mas nada grave. Neste jogo fui mais paramentado a lá Espanha. Venceu. O gol é o orgasmo do povo. Não importa quem marcasse, a galera queria ver a rede balançar. Claro que os australianos não pensavam assim. Mas como faz parte da festa, mesmo com a derrota estavam felizes. Estavam todos felizes no Brasil. Perguntei a um australiano e ele disse ter tido uma experiência muito bacana no país. No mesmo dia mais tarde fui com amigos num bar pra ver Brasil e Camarões. Australianos e espanhóis se misturando a brasileiros e cada um se comunicando do jeito que podia. Tive a impressão que todo mundo fala inglês fora do Brasil. Mesmo iranianos, argelinos e até alguns russos. Percebi que estamos muito atrasados no Brasil nesse aspecto.


Pro último jogo vesti a camisa da Rússia, pintei a cara de Argélia (com ajuda de minha mãe e de um legítimo argelino pintor de estrelas no rosto) e vesti um chapéu de Brasil. Embaixador da ONU. rsrs. E fiz sucesso com muitas fotos. Teve argelino que tirou foto comigo e me deu um cachecol. Adorei. No estádio, o hino russo emocionou. Fui kossaco na outra vida. Com empate de 1 a 1 a Argélia passou pela primeira vez as oitavas de final. E a festa ganhou as ruas de Curitiba. Um outro argelino quis trocar meu chapéu e ganhei uma bandeira enorme da Argélia. Virei argelino gritando "one, two, three, vive Algerie". E ainda ajudei um francês a se localizar. Fiquei muito feliz de participar daquilo tudo. Daquele espírito de que realmente você é cidadão do mundo.

A Copa do Mundo é uma grande festa dos povos. Acho que por isso a FIFA tem mais membros que a ONU. É o espírito de união face to face mesmo que não se fale a mesma língua. Ajudar e confraternizar com alegria. Consegui tentar animar um russo que daqui a 4 anos podem tentar de novo. Acho que ele disse pra eu ir ver.


Tentei me animar a curtir um pouco mais. Quem sabe uma semi-final em São Paulo. Mas uma punção lombar me tirou da Copa, assim como o Neymar, no mesmo dia do jogo com a Colombia. Curti na TV a chamada do "oooooeaaaaaaahhhhhh" dos outros jogos até a final e acho que fiquei com crise de abstinência. Será que é por isso que tem tanta gente que se programa e já foi a várias Copas? Acho que vou aceitar o convite do meu amigo russo.




sexta-feira, 11 de julho de 2014

7x1 e NADA presta!


Como tem gente infeliz nesse mundo brasilis de meu Deus. Foi só a seleção levar um vareio em plena Copa em casa que achou motivo até pra reclamar dos fogos que estavam soltando. Diz que vai torcer pra Argentina pois devido aos problemas do Brasil não devemos ser Hexa pois isso aliena o povo. Tá,mas seja inteligente e faça outra comparação. Torça pra Alemanha que além de futebol tem todo o resto que não temos. Inclusive um povo letrado e legitimamente patriota em que o futebol faz parte da nação e não é a nação. Conhece o que da Argentina: o Batel deles que é a Ricoletta em Buenos Aires? A estação de esqui de Bariloche? Tão pedindo moratória pela enésima vez.
Vá aprender história e compare o destino político do país nos anos de Copa. O que é que tem a ver? Copa do Mundo não muda eleição no Brasil. Causa uma guerrinha só.
Saúde e educação? 64 anos da última Copa e nunca foi investido. Por que vc acha que essa Copa é a culpada? O Lula trouxe a Copa mas todo mundo de todos os partidos queriam ser sede. Até a Marina Silva queria estádio no Acre!
Ah, vc acha que a Copa foi um fracasso porque vc não descolou uns trocos a mais. Copa não é pra enriquecer o padeiro da esquina em 15 dias. Legado é se vão asfaltar a sua rua ou a rua do vizinho atrás de vc? Mas se tiver bloqueio no dia de jogo aí tudo já vira uma merda só, não é verdade? Maldita Copa.
Eu adoro Copa. Sempre gostei. Desde molequinho. E me divirto um monte nesses dias de Copa. Fico até triste o dia que não tem jogo. E sabe por que eu gosto e curto bastante? Porque eu sei que essa festa não vai mudar a minha vida em nada. A Copa não é a responsável por nenhuma mazela que eu passe. A responsabilidade de eu ter ou não saúde e educação é minha, das minhas escolhas, das minhas lutas. De eu dar um troco certo; de ser gentil com um estranho; de estacionar em vaga certa e de escolher um bom candidato que não asfalte só a minha rua, mas também a rua de quem mora do outro lado da cidade e que pra isso não custe o mesmo que asfaltar a cidade inteira.

Uma derrota de 7x1 não vai trazer o metrô de Tóquio, nem a saúde da Suécia, nem a economia da Alemanha nem os Nobel dos EUA muito menos a educação coreana. Vamos nós ter que buscar isso com ou sem Copa ou Olimpíada ou os caralho a quatro. Vamos parar de só colocar a culpa em tudo e todos. A gente faz parte do todo.

Ria mas sem esquecer os motivos certos que nos trouxeram até aqui. Isso é maturidade.

Ser feliz é o desejo de todos mas quase ninguém sabe que ser feliz exige grande responsabilidade. E responsabilidade é algo que muitos tem medo.

Se não é a Copa é o carnaval, se não, é a obra que nunca termina e assim vai. Alemanha tem Oktober todo ano e bebem muito mais cerveja que a gente. E daí? De reclamação de ocasião já bastam os políticos que precisamos eliminar. Relaxa aí, solta os rojões com o vizinho porque não dá pra guardar até 2018. E foca no foco e deixa a Copa terminar em paz. Falou? Tamo junto irmão. Abraço. E dá-lhe Alemanha domingo.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

EU SEI O QUE VOCÊS FIZERAM NA COPA PASSADA!

Olá agentes convocados. 007s de plantão, Mataharis, Salts (pra quem gosta da Jollie) e todos aqueles que viram Teoria da Conspiração com a Julia Roberts e Mel Gibson dezenas de vezes.

Como James Bond se perdeu num Cassino Royale por aí sobrou pra mim mesmo desvendar essa Missão Impossível. Afinal, por quê diabos o Brasil não ganhou a Copa em casa? De posse de alguns fatos nada secretos faço uma análise de  "quem disse que era pra gente ganhar essa Copa?" Não é nossa vez.

Analisando as Copas desdea de 1970 chegamos a algumas coincidências bastante estranhas para dizermos que são apenas coincidências. Pasmem mas há uma força oculta por trás disso tudo que precisamos descobrir qual é para salvar o mundial de 2018. Porque esse já foi pro brejo. 

Vamos as pistas.

O Brasil foi tri-campeão em 1970 e demorou 24 anos pra chegar ao tetra.

A Itália foi tri em 1982 e demorou 24 anos pra chegar ao tetra.

O tri da Alemanha foi aem 1990, portanto a 24 anos. BINGO.

Em 90 na Itália deu Alemanha. A Itália ficou em terceiro disputando com uma seleção europeia.

Em 2006 na Alemanha deu Itália. A Alemanha ficou em terceiro contra uma seleção da Europa.

Quem é o dono da casa em 2014 que vai disputar o terceiro lugar com uma seleção européia? BINGO 2.

Agora vamos ás coincidências mais extravagantes ainda. Eu era muito novo pra entender de política e esportes então vou analisar as coisas da Copa de 90 pra cá.

Em 1989 cai o muro de Berlin. Alemanha Oriental e Ocidental se reunificam. É preciso reacender o sentimento do nacionalismo alemão unindo a pátria através de sua alma. Que tal uma Copa do Mundo? Alemanha Tri-campeã Mundial em 1990 .

O primeiro presidente eleito diretamente pelo povo após mais de 40 anos no Brasil é deposto por impeachment. Fernando Henrique Cardoso, então ministro da economia coordena um plano econômico para conter a inflação e cria o plano Real. Morre Ayrton Senna, herói nacional da Fórmula 1. Medo, tristeza, frustração e incertezas dão lugar a esperança e a uma auto-estima renovadas. Brasil é tetra campeão mundial da Copa do Mundo nos Estados Unidos.

 Em 1997 e no começo de 1998 a França enfrentava uma grave crise social com protestos nas ruas, principalmente nos subúrbios de Paris com centenas de veículos incendiados. Depredações, protestos e prisões cessam alguns meses antes do início do Mundial que seria na própria França. Na final, a seleção do Brasil sofre um apagão até hoje inexplicado perdendo de 3 a zero para os comandados de Zidane e a França, em casa, conquista seu primeiro Mundial.

Mesmo com pouca tradição no futebol, Coreia do Sul e Japão dividem a realização do Mundial de 2002. França, atual campeã, cai na primeira fase. A Copa está sob a sombra dos atentados de 11 de setembro de 2001. Na partida entre Irã e EUA, os iranianos ofertam flores brancas aos americanos numa das cenas mais emocionantes do Mundial. Nas quartas de final a Espanha é roubada absurdamente com 3 gols anulados que fazem a Coreia do Sul, anfitriã, chegar a semi-final e terminar a Copa em quarto lugar. Dono da casa é dono da casa. (Terceiro lugar é nosso Holanda, nem vem)

Em 2005 o futebol italiano foi sacudido com denuncias de manipulação de jogos para beneficiar a máfia das apostas. Jogos foram cancelados, cartolas afastados, times penalizados e até rebaixados. A própria Azzura, seleção italiana, fica desacreditada. Mas logo passa. Itália se sagra tetra campeã mundial na Alemanha em 2006. Olha só que superação.  

A crise americana de 2008 atinge a Europa e vários países entram em recessão. A Copa de 2010 na África do Sul, primeira no continente africano, assiste a ascensão de um novo campeão. A quase falida Espanha vence seu primeiro mundial (e não passa da primeira fase no mundial seguinte. Virou mania).

Uma grave crise política eclode no Brasil a um ano da Copa do Mundo no país. O evento teste, a Copa das Confederações é realizada em meio a milhões de brasileiros nas ruas clamando por melhorias sociais. A até então poderosa Espanha perde a final do torneio para o recém formado time de Felipão  Os protestos acabam. Droga gente. Cadê a galera do "não vai ter Copa" nas ruas? Vocês protestaram na hora errada  Não ganhar a Copa em casa é chato. A gente gastou tanto. Os estádios ficaram bonitos e todo mundo, até lá de fora, está dizendo que fizemos a Copa das Copas. Pra ser perfeito a gente que tinha que ganhar. Tudo bem. Vai ver a crise na Argentina tenha virado pior que a nossa. Eles não pagam nem o FMI. Mas a gente levando de sete na semi e eles indo pra final na nossa casa é pra negociar duas taças aí pra frente. Uma em cima deles no mínimo. 

Tem problema não. Pelas contas 2026 é nosso Hexa. A não ser que uma catástrofe se abata sobre nós antes disso e a Fifa nos console com uma tacinha antes do tempo. 

Parabéns Alemanha!

terça-feira, 1 de julho de 2014

A gente só fica puto mesmo quando fodem com o que a gente ama!



Com o arrefecimento da crise política atual do Brasil parece que a ortodoxia tem crescido junto ás opiniões a favor e contrárias á Copa.

Só não cresce o PIB do Brasil nem o bom senso.

É a lógica binária que o Sakamoto exemplificou muito bem. "CRICAQUI" (Vejo pedras vindo em minha direção em 3, 2, 1 ...).

Enfim. A Copa começou e o #nãovaitercopa se rendeu ao #tatendocopasim para convulsões estomacais dos coxinhas de plantão e pessimistas de carteirinha  Imagina na Copa.

Nem precisa mais imaginar. A Copa do Mundo do Brasil esta sendo um sucesso dentro e fora do país. Como vários meios de comunicação estrangeiros já disseram essa está sendo uma das melhores Copas. Pela qualidade dos jogos, quantidade de gols e pelo clima que o povo brasileiro imprimiu á festa. Nenhum grande incidente foi registrado além dos de costume - bebedeiras, um ou outro torcedor mais exaltado e tal. A mobilidade deu conta e nenhum aeroporto caiu. E até as superfaturadas arenas estão sendo elogiadas (também né!). "Imagino" que essa Copa já está deixando é saudades.

A FIFA não vende futebol. Vende paixão e emoção através do esporte. Não é a toa que tem mais membros que a ONU. Qualquer análise pura e simplesmente pragmática e racional sobre o evento não se sustenta por muito tempo. Claro que especialmente no nosso caso não podemos esquecer de tudo que nos custou realizar essa Copa. Mas que lembremos disso oportunamente ao invés de tecer tanto mimimi e se arrepender depois (clique AQUI artigo que fala dos arrependidos da Copa). Já que a festa está bem paga o negócio é curtir agora e apresentar a conta a quem organizou na hora certa.

A conta parece estar perto dos 35 Bilhões. A mais cara de todas. Mas engana-se quem acha que esse dinheiro seria muito bem usado em saúde, educação e infraestrutura. A ultima Copa foi a 64 anos. O que aconteceu de lá pra cá com saúde e educação se não tivemos Copa? Melhorou por acaso? E bem ou mal melhoraram uns aeroportos. Fizeram umas pontes e viadutos novos e até asfaltaram umas avenidas (a que liga o aeroporto de Curitiba ao centro da cidade estava um caos até uma semana antes do primeiro jogo na cidade que foi dia 16 de junho). Mas fizeram. Não quero Malufizar, por isso insisto que a conta deve ser apresentada aos governos em outubro. E reclamar depois que está tudo mais ou menos pronto também não adianta. Assim como as obras, os protestos também estavam atrasados.

E tem ainda os que acham que se o escrete nacional perder fica mais fácil mudar o governo. Ganhe alguns minutos de conhecimento e assista o vídeo abaixo. Por favor de você mesmo.



Você apaixonado, cônjuge dedicado, chega um dia mais cedo em casa e no corredor encontra uma cueca que não é sua (ou calcinha). Entra no quarto e vê a cena: a coisa que você mais ama na vida está te traindo  Tão fodendo, literalmente, com o que você mais ama.

Eu acho que a falência da saúde, educação, transportes e afins não causou tanta comoção quanto a organização desta Copa que era pra ser a Copa do povo mesmo, no sentido mais humano da coisa. Mesmo os protestos de junho de 2013 onde se dizia não ser só por 20 centavos, foi desencadeado pelas cifras divulgadas com o mundial nacional. Eu acho que é por isso que tem tanta gente fula da vida discorrendo os maiores impropérios em debates reais e virtuais sobre a Copa, sua organização e legado. Tanto melhor.

Se antes as necessidades básicas dos brasileiros não inspiravam tanta revolta, talvez ter feito um mundial do jeito que fez, a preço de dois/três, tenha sido o melhor tiro no pé que o governo já deu. Pegou no coração do brasileiro (e olha que no jogo Brasil e Chile teve gente que infartou e morreu, sem trocadilho).

Legado? Mais que estradas, aeroportos e Arenas, as quais algumas servirão pra disputar final de campeonato de várzea como em Manaus e Cuiabá, e uma taça de ouro, o melhor legado espero que seja o despertar de uma consciência política mais profunda na população em função de todos os acontecimentos oriundos desse mundial. Da nossa paixão que nos foi traída.

Tudo indica que teremos prorrogação em outubro. Mas que o povo que faz este país que seja o campeão  E que nossa alegria não ofusque nossa memória